Tecnologias para o agronegócio

0
623
agro

O segmento agro convive com diversos desafios. Eles abrangem questões como: restrições ao desmatamento para abertura de novas áreas cultiváveis; consumidores preocupados com o uso exagerado de defensivos agrícolas; e a crescente demanda por produtos.

Estes fatores pressionam o setor de agronegócios no mundo inteiro. Isto para que o segmento agro concilie o aumento da produção de alimentos, fibras e biocombustíveis à sustentabilidade.

A solução pode estar na utilização das novas tecnologias. Elas prometem aumentar a produtividade e a eficiência das produções agro. Além disso, promovem a redução de desperdício; dos custos e dos impactos ambientais. Tudo isso ao mesmo tempo em que atendem a necessidades do mercado.

É a chamada agricultura 4.0. Ela tem o potencial de revolucionar o agronegócio por meio de equipamentos, softwares e sistemas digitais.

Inovação para o agro

Atualmente, a tecnologia é aplicada de diversas maneiras no agronegócio. Os exemplos práticos vêm de muitas áreas. Veremos alguns.

Mobilidade no campo

Um dos maiores gargalos para utilização das novas tecnologias no campo é a falta de acesso à internet. No entanto, isso parece estar sendo resolvido.

O Censo Agropecuário de 2017, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que o acesso à internet no campo cresceu nada menos que 1790% em relação ao último levantamento, de 2006.

Atualmente, estão conectados mais de 1,4 milhão de produtores rurais e a internet virou uma ferramenta importante para os negócios.

Além disso, segundo o Censo, a grande maioria dos produtores rurais brasileiros possui smartphones e tablets. De certo, eles são utilizados diariamente para uma variedade de propósitos.

Em resumo, entre as atividades que a mobilidade possibilita no campo estão: o rastreamento de padrões climáticos; o inventário de equipamentos e suprimentos; o gerenciamento de pessoal e o controle de equipamentos de agricultura de precisão.

Com efeito, a ampliação do acesso à internet permite a adoção das novas tecnologias com mais rapidez. Certamente, uma prova disso é o aparecimento de diversas startups especializadas em desenvolver soluções para o agronegócio.

Surgem aplicativos que podem auxiliar os produtores em diversas frentes dos seus negócios. Por exemplo, a previsão do tempo; a identificação de pragas e a pulverização da lavoura, dentre outras. Tudo feito por celulares e tablets. O que alia eficiência e facilidade de uso.

Rebanho informatizado

Na criação de animais, já existem aplicativos que alertam o produtor de leite sobre o melhor momento de colocar cada vaca para reproduzir. Além disso, os apps também já informam quando é hora de desmamar um bezerro.

Na suinocultura, sensores instalados nos locais de descanso dos animais monitoram, em tempo real: a temperatura; o nível de ventilação, e até a intensidade de ruído do rebanho. Em muitos casos, isso pode indicar disfunções no bem-estar dos animais.

A pecuária de corte utiliza a tecnologia para realizar o rastreamento completo do gado. Isto é feito desde o nascimento, por meio da instalação de brincos eletrônicos, passando pela implantação de um chip, quando o animal atinge os sete meses, até o monitoramento do abate humanizado.

Por outro lado, após o abate, essas informações geram um código de barras colocado na embalagem da carne, permitindo que o consumidor saiba a exata procedência do alimento.

Esse é o serviço oferecido pela Safe Trace, que utilizou o conceito “do pasto ao prato”, consequentemente para criar um aplicativo de rastreamento de carne.

O histórico genético, sanitário e de manejo dos animais é todo armazenado e atualizado dentro da plataforma, podendo ser consultado pelo produtor a qualquer momento.

Agricultura 4.0

Dessa forma, a produção agrícola também já experimenta diversas tecnologias, com efeito de promover a chamada transformação digital nas fazendas.

A ampliação do acesso à internet no campo permite a utilização de aplicativos. Portanto, integra as geotecnologias à agricultura de precisão, além de recursos de inteligência artificial.

Por certo, essas soluções permitem a aquisição de dados e a supervisão de operações agrícolas em tempo real.

Além disso, a automação de máquinas e a utilização de drones auxiliam pequenos e grandes produtores, por exemplo, em tarefas como gestão das áreas agrícolas; no manejo de rebanhos; na previsão de clima, na identificação de doenças, no uso de defensivos e na irrigação.

Por exemplo, temos o aplicativo FarmGO.  Em suma, ele utiliza inteligência artificial para verificar a performance de safras passadas, assim identificando regiões com baixo desempenho.

Ele também acessa imagens de drones e satélites para monitorar a saúde das lavouras, monitorando pragas e doenças, identificando o melhor período para aplicação de defensivos e minimizando custos.

Novas tecnologias

A inteligência artificial já se faz presente em inúmeras fases da produção agrícola. No futuro, sua utilização deve ser intensificada em diversas frentes.

Redes neurais

Na agricultura e na silvicultura, redes neurais treinadas serão alimentadas por sensores autônomos, consequentemente permitirão a automação de boa parte do processo de produção.

Isso viabilizará sistemas de irrigação digitalmente assistida, agricultura de precisão com aplicação de rotinas pré-programadas, automação e rede de sensores locais para mapeamento de solos, monitoramento de doenças e de variáveis meteorológicas.

O custo da produção dos vegetais será reduzido, com efeito de aumentar o resultado médio e diminuir os impactos ambientais.

Satélites, GPS e drones

Sensoreamento remoto com imagens de satélites, GPS de precisão, drones, estações meteorológicas e outras geotecnologias poderão monitorar a saúde das plantações. Assim,  indicando os níveis de produtividade e a necessidade de manejos específicos.

Um ótimo exemplo de como a inteligência artificial já pode ser usada no rastreamento de áreas agrícolas é dado pela XMobots., Trata-se de uma startup especializada no desenvolvimento, na fabricação e em operações de drones, com foco na agricultura de precisão.

Os drones possibilitam ao agricultor reunir informações importantes, por exemplo, sobre a topografia de suas terras e as linhas de plantio. Consequentemente, permitem detectar pragas e fazer a contagem do gado.

Monitoramento remoto

A pecuária também poderá se beneficiar do monitoramento remoto contínuo e não invasivo dos animais. Logo, essas tecnologias poderão identificar, de forma autônoma, a presença de indivíduos doentes ou feridos. Diante disso, também aqueles que atingiram as metas de peso.

Como resultado, elas também poderão indicar áreas de pastagem degradadas ou que necessitem da gestão de insumos, consequentemente, melhorando a produção; a qualidade da carne e o bem-estar dos animais.

Agro adaptado

Em resumo, a tecnologia no agronegócio já começa a mudar os resultados das safras e dos rebanhos. Como consequência, aumentando a produtividade e reduzindo perdas no campo.

Impulsionado por recursos como internet das coisas, inteligência artificial, realidade virtual/aumentada e geotecnologias, o agronegócio se adapta e se moderniza.

Essas novas tecnologias podem ser incorporadas desde pequenas até as grandes propriedades, aumentando sua produção enquanto a torna mais sustentável.

Baixe Grátis

Agronegócio – dicas para seu negócio