Produção de primeira

0
205

produção de primeiraCom a participação no projeto Educampo Leite, 60 produtores de Araxá aprendem a gerenciar seus negócios, transformando-os em verdadeiras empresas rurais

Quando recebeu a fazenda Campina Verde de herança do pai, Heloisa Maria Costa Lemos não imaginava o salto que impulsionaria o seu futuro. Formada em Enfermagem e acostumada ao ritmo de trabalho em empresas e hospitais de grande porte, ela aceitou o desafio de gerir o negócio e transformar a propriedade da família, localizada no município de Ibiá, a aproximadamente 86 km de Araxá, em um dos locais de referência na produção de leite do Alto Paranaíba. Porém, mesmo a fazenda possuindo uma boa estrutura física, um rebanho de qualidade e, principalmente, uma frota de máquinas e tecnologias de ponta, Heloisa Lemos não conseguia aumentar a produtividade e gerar lucros. Além disso, dividindo-se entre os dois trabalhos, ela administrava o negócio a distância. “Era tudo muito desorganizado, pois eu não tinha conhecimento sobre os processos da fazenda, muito menos de produção de leite. Eu investia muito, mas, no final, sempre fechava o mês no vermelho”, relata.

Em 2009, buscando uma resposta para a baixa produção, ela se inscreveu no projeto Educampo Leite, iniciativa que investe na capacitação gerencial e tecnológica dos produtores com o objetivo de transformar suas propriedades em negócios rentáveis e sólidos. Com o auxílio de William Maia de Sousa, médico veterinário e técnico do projeto, Heloisa Lemos logo começou a contabilizar os bons resultados.

Após a conclusão de um diagnóstico, foi constatado que a mortalidade de vacas e novilhas era um dos principais problemas vivenciados na fazenda Campina Verde. O rebanho não conseguia ultrapassar o total de 120 animais, o que justificava a baixa produção. Outra ferramenta importante para a melhoria dos processos administrativos foi o uso de um software desenvolvido especialmente pelo Educampo Leite, que possibilita a obtenção de informações gerais sobre a fazenda, como o número de vacas em lactação, o volume de leite produzido por dia, custo de produção do litro de leite e, até mesmo, a quantidade de alimento que cada animal deve receber. Também ficou nítida a necessidade de uma participação mais ativa da fazendeira na gestão da propriedade e em treinamentos e capacitações, com foco na cadeia produtiva do leite. “Agora, ela tem controle de todos os processos da propriedade e, a cada dia, aprende um pouco mais. Não adianta nada dominar a tecnologia e não ter o conhecimento das atividades”, orienta William de Sousa.

Hoje, dos 137 hectares que constituem a fazenda Campina Verde, 40 são utilizados para a produção de leite. Dois funcionários são responsáveis por cuidar das 147 vacas, das quais 88 estão em período de lactação e chegam a produzir, aproximadamente, 1.200 litros de leite por dia. Para 2014, é esperada a retenção de mais de 27 novilhas, sendo que, agora, a mortalidade dos animais é praticamente zero, pois, a partir do diagnóstico, foi possível estabelecer uma dieta mais saudável e um local confortável e seguro para o descanso do rebanho. “A meta é fechar o ano com uma produção de 1.600 litros por dia e, no período de três anos, atingir um volume de 3 mil litros/dia”, vislumbra Heloísa Lemos.

Leia a matéria completa em nosso site.