Planejamento financeiro: porque ele é tão importante para sua empresa?

0
437
planejamento financeiro

Todo negócio de sucesso deve ser alinhado por um plano que englobe os seus principais processos. Dentre eles, o planejamento financeiro merece destaque, pois, sem dinheiro em caixa, fica praticamente impossível investir em crescimento.

Mesmo quem trabalha sozinho, como é o caso do MEI, precisa ter informações importantes para empreender. Neste artigo, selecionamos algumas das mais práticas para que você coloque o seu planejamento em dia.

Porque fazer o planejamento financeiro

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar em planejamento financeiro como uma das ferramentas importantes para o crescimento de uma empresa. No entanto, a verdade é que poucos empreendedores se dedicam o suficiente para fazer esse plano de forma detalhada.

Isso não é por descuido ou culpa do empreendedor. Muitas vezes, falta tempo para sentar e, de cabeça fria, analisar como andam as finanças.

A boa notícia é que fazer um plano financeiro não é complicado. Você pode começar com algumas simples iniciativas e aprimorar ao longo do tempo. O passo a passo que preparamos irá ajudá-lo a começar.

Modelo de planejamento financeiro

Quando falamos em planejamento financeiro, a primeira imagem que surge à mente são planilhas preenchidas, linha por linha, com cada gasto da empresa, certo?

No entanto, o que acontece é que a maioria dos empreendedores acaba deixando esses modelos prontos de lado. E o navio financeiro do negócio segue à deriva.

Um plano financeiro não é uma planilha pronta. Embora existam milhares de modelos prontos na internet, o que funciona mesmo é o empreendedor sentar e pensar no seu negócio.

Portanto, em nosso passo a passo, não disponibilizamos planilhas prontas ou modelos a serem seguidos. Isso torna o trabalho mais prático e você pode personalizá-lo do seu modo.

Pontos essenciais do planejamento financeiro

Mesmo que você não se considere muito habilidoso para fazer o seu planejamento financeiro, ele nada mais é do que o que você já realizou diversas vezes na vida. Quando você quis realizar um sonho — como casar, fazer uma viagem ou comprar um automóvel —, intuitivamente, planejou como faria isso. 

Agora, colocaremos como foco a realização do seu sonho de ter um negócio saudável financeiramente. Assim, você poderá realizar outros sonhos e ter mais conforto, liberdade e qualidade de vida.

Defina um horizonte

Antes de escrever qualquer número, você precisa definir para quanto tempo deseja fazer o seu planejamento. Cada empresa tem uma dinâmica e, portanto, esse horizonte é bem pessoal.

Por exemplo: no mercado de TI, as coisas mudam muito rápido. Novos softwares e cursos se tornam necessários a todo instante, enquanto outros ficam obsoletos em um curto período.

Já no ramo da contabilidade, raramente surgem adequações que precisam de grandes investimentos em pouco tempo. Mesmo as alterações criadas por leis tributárias costumam ter efeito apenas a partir do período seguinte.

Se o seu negócio está em um nicho onde as coisas mudam todo o tempo todo, é importante reduzir o seu horizonte de planejamento para manter o plano financeiro sempre atualizado e eficiente. Outra necessidade é a revisão sempre que houver alterações significativas de cenário.

Para começar, pense em um planejamento para o curto prazo — de três ou seis meses —, mas fique de olho nos seus objetivos de médio e longo prazo. Esses o deixarão preparado para mudanças drásticas de cenário, como crises ou greves.

Identifique os objetivos do negócio

O que move uma empresa são os seus objetivos. Você precisa avaliar o estado atual do seu negócio e definir onde quer estar financeiramente, considerando o horizonte de planejamento definido anteriormente.

Quer aumentar o seu faturamento? Precisa comprar um novo equipamento? Ou deseja aumentar o número de clientes e precisa contratar alguém? Como você sabe, o MEI também pode ter um funcionário e esse investimento precisa ser contabilizado.

Seja qual for o seu objetivo, o primeiro passo é definir quanto investimento será necessário para realizá-lo.

Analise as suas receitas e despesas

Certamente, o início do fracasso de pequenos grandes negócios é não ter clareza sobre as receitas e despesas. Quando se é assalariado, é fácil saber a sua receita, pois ela provém, exclusivamente, do seu salário. Por outro lado, a do empreendedor entra todos os dias e muitos não sabem lidar bem com esse cenário.

Vários empreendedores relatam que o dinheiro que "pinga" no caixa todos os dias não é o suficiente e, por isso, eles têm de recorrer a linhas de crédito.

No entanto, na maioria das vezes, falta um planejamento financeiro que contemple a previsão de receitas e despesas variáveis, além do acompanhamento diário do fluxo. E não são necessárias horas de estudo ou um alto investimento para isso.

Um simples caderno pode servir como base. Anote durante um mês tudo que entra e sai; assim, você terá um retrato para fazer uma previsão de como será o seu próximo mês ou trimestre.

Faça os ajustes necessários

Depois de dar os primeiros passos e fazer uma previsão do quanto precisa investir para manter o seu negócio em funcionamento e qual é a entrada de recursos, você deve adequá-la à realidade.

Por exemplo, se uma lanchonete consome mensalmente 20% do faturamento em matéria-prima e 30% em aluguel e infraestrutura, os outros 50%, que são o lucro do negócio, podem ser utilizados para reinvestimento.

No entanto, se a mesma lanchonete consome 60% do seu faturamento em retiradas do caixa para despesas pessoais do empreendedor, é preciso ajustar. Saber separar as finanças pessoais das empresariais é um dos maiores desafios de quem começa um empreendimento.

Mas este é só um exemplo. Cada empreendedor precisa conhecer os números do seu negócio e fazer os ajustes necessários para que o plano seja cumprido de forma saudável.

Crie uma estratégia financeira replicável

Depois de identificar os seus objetivos e fazer os ajustes, certamente você terá muito mais clareza para aumentar os resultados do seu negócio. 

O próximo passo é adaptar uma estratégia financeira própria. Aqui, recomendamos que, inicialmente, siga uma estratégia que funcione, para você ou para o mercado em que atua.

Existem diversas formas de definir uma estratégia. Você pode contar com o apoio de especialistas para isso ou utilizar exemplos da literatura financeira.

Para começar, certifique-se de que a sua estratégia financeira contemple:

  • valor para reserva;
  • percentual para reinvestimento;
  • ações estratégicas de marketing, logística, parcerias etc;
  • um valor fixo mensal para pagamento de proventos;
  • percentual destinado à expansão da empresa ou quitação de dívidas.

A importância do planejamento financeiro

A falta de planejamento é o que faz com que 80% das empresas abertas no Brasil fechem as portas antes dos cinco anos de atividade. Ao ler relatos de empreendedores que tiveram os seus sonhos interrompidos, notamos que, para a maioria, ter um bom plano financeiro seria suficiente.

Falta de capital de giro, altas taxas de impostos, pouca clareza quanto à real situação financeira e períodos de crise: tudo isso pode ser previsto em um bom planejamento antes de as consequências serem as piores.

Portanto, resta a você, empreendedor, não ser mais um na estatística e fazer a tarefa de casa. Comece a adequar o seu planejamento financeiro. Com este passo a passo, você terá mais clareza. Busque ajuda profissional se for preciso. Conte conosco!