Oportunidades que viram negócios

0
319
páscoa
Japan. May 2016

Datas comemorativas podem ser sinônimos de bons negócios. Veja a Páscoa, por exemplo: além dos já tradicionais chocolates e coelhos, é uma oportunidade para venda de pelúcias, embalagens, vinhos, pescados, manutenção veicular e negócios ligados ao turismo e entretenimento, visto que temos um feriado prolongado.

Quem descobre em um desses negócios uma oportunidade de ganho extra pode estar à frente de um novo empreendimento. A própria Cacau Show, uma das maiores redes de vendas de chocolates do Brasil começou assim.

Mas por que alguns negócios só funcionam na data comemorativa e outros nascem nela e prosperam? Qual a diferença entre uma iniciativa isolada e uma empresa estruturada?

A resposta está na postura do empreendedor à frente da iniciativa. É preciso perceber a oportunidade e se organizar para continuar após a data comemorativa, planejando ações e buscando crescimento.

Testando o negócio

Nesse início, parentes e conhecidos são os primeiros clientes e o empreendedor se dedica, muitas vezes, a algo que já tem alguma experiência. Sem perceber, aqueles que começam de forma menor, aproveitando uma data especial, fazem o que a professora Sara Sarasvathy chama de effectuation: vão aprendendo à medida em que vão fazendo, tirando de erros e acertos suas conclusões.

 

As vantagens desse início incluem rapidez na implantação das ações, menor tempo e capital investido inicialmente, possibilidade de fazer ajustes antes de tornar a operação maior.

Melhoria contínua

Darwin já dizia que quem não se adapta, deixa de existir. Depois do início promissor, ciente dos frutos da primeira iniciativa, é hora de avaliar e melhorar. Com um olhar no futuro e outro nos resultados obtidos, é preciso adequar as várias facetas do negócio: relacionar-se com o cliente, conhecer os concorrentes e se posicionar em relação a eles, manter os controles financeiros em dia, enfim, estabelecer processos que permitam sonhar mais alto e ir aprendendo com cada passo dessa jornada.

Parceiros de peso

Nesse processo, lembre-se: o empreendedor não precisa saber fazer tudo, mas é imprescindível que peça ajuda para quem possa complementar sua atuação. Algumas vezes será um colaborador, em outras, um sócio ou instituições que possam apoiá-lo e oferecer conhecimento que facilite o dia a dia da gestão.

Você perceberá que empreender é uma aventura, mas que faz todo o sentido se esse for o seu desejo e você o abraçar com persistência e determinação.

 

Leia Mais

Para dar corpo à sua ideia de empresa: guia essencial para empreendedores

 

Baixe grátis

Para começar de forma prática e assertiva: checklist de planejamento e abertura de empresa