O que você precisa saber para abrir um e-commerce

0
1671
e-commerce

Qual foi a última vez que você pegou o carro só para fazer compras? Esta é uma atividade cada vez menos comum, pelo menos para quem tem preferência pelo conforto oferecido pelo e-commerce. Com a tendência de comprar pela internet, é muito comum encontrar promoções e preços competitivos nos comércios eletrônicos. Eles já representam boa parte da concorrência de negócios com loja física. Isso vale para seu negócio?

Aproveite o conteúdo oferecido pelo Matheus Faria, sócio-diretor da Multiweb . Ele conta em detalhes, tudo que você precisa saber para abrir um e-commerce e ter ainda mais sucesso na sua empresa. Acompanhe cada detalhe.

 O cenário do e-commerce

O e-commerce é o mundo das compras pela internet e não investir em um braço virtual para o seu negócio é uma oportunidade perdida. De acordo com a 36ª edição do Webshoppers, da e-bit, as compras online tiveram alta de 10,3% em 2017. Com a entrada dos brasileiros no meio digital aumentando, suas vendas ganham mais espaço para acontecer. E seu lucro cresce.

Ter uma presença online não é difícil. Mas, no momento que pensamos na criação de lojas virtuais, muitos pontos devem ser considerados. É necessário bastante trabalho e dedicação para criar um canal de vendas online e gerenciá-lo.

Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

Há muito a se analisar, antes de criar uma loja virtual. Mesmo depois do seu e-commerce estar no ar, o trabalho continua. Por isso, um bom planejamento é essencial. Isso embasa seu investimento, e permite que você consiga gerenciá-lo.

Você não pode esperar que apenas o fato de ter uma loja virtual seja o suficiente para que suas vendas comecem a acontecer. É justamente para estabelecer metas, controlar expectativas, pensar em estratégias, saber como se posicionar e atrair clientes que um plano de negócios é construído. Ele será o guia para alcançar o sucesso na sua loja virtual.

Tenha uma boa oferta de valor

Sabe explicar porque as pessoas devem comprar de você e não do seu concorrente? Se não consegue responder essa pergunta facilmente, talvez haja um grande problema com sua oferta de valor. Esse conceito base do marketing diz que toda empresa precisa, primeiramente, entender o que ela pode oferecer para um possível cliente que ninguém mais pode.

Não estamos dizendo que para vender na internet é preciso ser extremamente original. Mas você deve mostrar o seu valor para aquelas pessoas que ainda não conhecem sua marca. O que diferencia sua empresa é o atendimento personalizado? É a experiência de compra? São os preços? A qualidade dos seus produtos? Sua produção que não agride o meio-ambiente?

Faça análise do mercado

Ao criar uma loja virtual, defina quais serão os produtos que estarão disponíveis para seu público. Para fazer isso é necessário analisar o mercado e desenvolver uma estratégia de vendas.

Antes de inserir todos os seus produtos no site, faça uma análise do mercado. Ela ajuda a perceber: os concorrentes, o mix de produtos e o posicionamento de sua marca. Mais do que saber o os outros estão fazendo, pergunte-se o que você pode fazer de diferente. Conheça bem seu negócio, e tenha clareza do posicionamento que espera para sua marca.

Análise financeira

Como toda loja física, o e-commerce também tem seus gastos. Eles podem ser muito menos custosos do que pagar o aluguel de uma loja, contratar diversos funcionários e outros que são comuns ao varejo. Entretanto, você não deve criar uma loja virtual sem antes fazer uma análise financeira de sua empresa, bem como dos seus investimentos.

Considere gastos a curto, médio e longo prazo. Não há nada mais triste do que se empolgar com seu e-commerce e, ao passar do tempo, perceber que não consegue mantê-lo. Para que isso não ocorra, coloque na ponta do lápis suas prospecções, calcule os gastos, tente prever os lucros e também já pense o que fazer em cenários que isso não pode dar certo.

Estude seu público-alvo

Você já conhece bem o seu público-alvo? Sabe o que ele precisa, do que gosta e como pode atender as demandas dele? Se essas perguntas te fazem ficar pensativo, é necessário resolver isso agora mesmo. E também, desenvolver as personas do seu negócio.

A persona, ou buyer persona, é uma representação fictícia do seu comprador ideal. Ela se difere da ideia de um público-alvo, porque quando pensamos assim acabamos por delimitar demais todas as pessoas que poderiam se interessar pelo produto. Por isso, antes de criar personas, estude seu público. E, ao mesmo tempo, inclua sua experiência enquanto dono daquele negócio para ajudar a refinar quem seria o seu público.

Funcionalidades do seu e-commerce

Assim como uma loja física, o e-commerce demanda que você o estruture, antes de colocá-lo no ar e começar a vender. Uma das partes do planejamento é definir qual será a plataforma da sua loja virtual, para então pensar em coisas como meios de pagamento, logística de entrega, carrinho abandonado, integração com marketplaces e mais.

Plataforma eletrônica

Antes de pensar em como quer que seja o design da sua loja virtual, saiba quais os tipos de plataforma existem no mercado. Algumas delas permitem um nível de customização maior. Outras são mais engessadas e não te possibilitam mudar tantas coisas no seu comércio eletrônico.

As plataformas podem ser do tipo plug and play, alugadas ou open sourse. Cada uma tem características, vantagens e desvantagens diferentes. Elas também diferem no volume de investimentos.

Algumas como as plug and play podem ser mais adequadas para quem está começando, por terem menor custo, mas não acompanham o desenvolvimento das lojas. As plataformas alugadas, demandam pouca manutenção. Mas você não tem controle sobre elas. Já as plataformas open source (ou código aberto, em tradução) são aquelas em que você pode colocar sua imaginação para comandá-la, porque é possível fazer o que quiser com seu e-commerce. Por isso, ela exige mais conhecimento e dedicação.

Meios de pagamento e entrega

Ao incluir as formas de pagamento em seu site, há a opção de fazer isso por meio de uma integração direta ou com um intermediário.

A integração direta exige que você entre em contato com as adquirentes. Nesse caso, sua loja precisa se adequar a normas de segurança e também ter uma equipe responsável por essa parte. Já os intermediários são uma ponte entre a sua loja virtual e as adquirentes. No momento da compra, seu cliente acessa a página, faz a transação e eles são os responsáveis por cuidar das questões posteriores a esse processo. Toda a análise de fraude é feita pelos intermediários.

Uma dica de ouro para sua página de pagamento é fazer com que o cliente não precise sair dela. Isso é um dos motivos para uma baixa taxa de conversão, então fique atento.

Logística

Uma das principais vantagens de ter uma loja virtual é a possibilidade de vender para pessoas que estão longe de você. Porém, isso insere uma problemática que precisa ser resolvida com bastante atenção: como fazer para entregar seus produtos. Assim como no pagamento, você pode fazer integração direta ou utilizar intermediários de entrega. É preciso analisar sua habilidade para lidar com a questão ou a necessidade de alguém que o faça por você.

One step ckeckout

Este recurso visa trabalhar com um checkout mais transparente, e também reduzir os campos de cadastro para preenchimento do cliente. Dessa forma, você precisa fazer com que sua página de compra seja toda estruturada em uma só tela. Nada de mandar o usuário para outro lugar, depois voltar para sua loja e só assim terminar a compra.

Carrinho abandonado

O objetivo final de toda loja virtual é vender, correto? Pensando nisso, é indispensável que seu e-commerce tenha a tecnologia do carrinho abandonado. Ela funciona para aquele usuário que colocou alguns produtos no carrinho, mas não completou a compra. Ele é uma ótima ferramenta para incluir em sua estratégia de negócio, pois além de ajudar a não perder a venda.

Loja mobile

As conversões que veem do mobile significam quase ¼ de todas as vendas do mercado de e-commerce. Diante de números tão expressivos, e que tendem a crescer à medida que a tecnologia se torna mais acessível, sua loja virtual precisa estar preparada para ser acessada por um dispositivo móvel.

Pensar no seu comércio eletrônico rodando em um celular pode exigir que toda a estrutura do seu site seja refeita. Disposição de menus, de ícones, tudo o que for possível refazer para melhorar a experiência daquele usuário. Além disso, sua loja não pode demorar muito para carregar.

Integração com marketplaces

Marketplaces são aquelas plataformas online que vendem diversos produtos de empresas variadas. Eles fazem muito sucesso entre os consumidores. Como muitos deles são conhecidos, é comum os usuários se sentirem mais seguros fazendo compras por eles. Se você é novo no mundo das vendas digitais, integrar a sua loja a algum marketplace é uma vantagem a ser analisada.

Integração com ERPs

Os Enterprise Resource Planning ou Planejamento dos Recursos da Empresa são softwares que permitem integrar sua loja virtual com a física. Dessa forma, acontece uma centralização de processos e você tem o controle de tudo o que acontece nos dois ambientes. Há muitos softwares no mercado, então pesquise bem ou peça indicação de alguém da área.

 Site Seguro

Esta é uma maneira de dizer para quem visitar seu site que ele pode confiar na sua loja virtual e inserir dados sensíveis no momento da compra. Isso é feito pela inclusão de selos que dizem sobre a segurança da sua loja virtual.

Há selos sobre pagamento digital seguro, internet segura, de verificação e proteção, do e-bit e muitos outros. Converse com os responsáveis pela sua loja virtual e discuta os melhores selos para serem utilizados no seu e-commerce.

Marketing Digital

Já imaginou abrir uma loja no centro da cidade, em que há diversos concorrentes diretos e indiretos, e não divulgar a sua marca? Não seria sensato agir dessa maneira porque as chances de alguém encontrar sua loja seriam bem menores, correto? O mesmo acontece com sua loja virtual se não existe nenhum trabalho de marketing digital que promova, divulgue, mostre seus produtos para as pessoas.

Por isso é importante estar presente nas mídias digitais e em todos os canais digitais que favoreçam seu negócio. Você tem opções de divulgação no Google, como:

- Rede de Pesquisa,

- Rede de Display,

- Google Shopping e

- Remarketing.

Cada um deles traz vantagens para o seu negócio e podem ser usados de maneira estratégica para atrair consumidores e vender mais. Além desses, também é preciso estar de olho nas vitrines que as mídias sociais representam para os negócios.

Nelas, os anúncios podem ter diversos formatos, favorecendo a diversificação da comunicação com o seu cliente. A partir das mídias sociais, também é importante pensar em uma estratégia de mídia com influenciadores.  Eles podem tornar sua empresa mais conhecida e também dar mais autoridade para sua marca.

Marketing de conteúdo

Além de investir em mídia, outro viés importante do marketing digital para sua loja virtual é o de conteúdo. Você precisa utilizar as redes sociais para mostrar ao público o quanto sabe sobre aquele produto. Crie conteúdos exclusivos que falem sobre sua marca, mostre-se atento com o que está acontecendo e interaja com as pessoas. É muito importante se mostrar ativo.

Além de conteúdos rápidos no Facebook, Instagram ou qualquer outra rede social que faça sentido sua marca atuar, crie uma estratégia de blog. Se mostrar uma autoridade gera confiança no público, então não hesite em falar sobre o universo em que seus produtos estão inseridos.

Atendimento de qualidade

Deixei este item para o final para você não se esquecer da importância dele. Pense consigo mesmo: do que adianta ter várias estratégias prontas para funcionarem, se não souber como atender os clientes? Será que uma loja virtual com design moderno é capaz de manter sozinha uma boa taxa de conversão? Você já sabe a resposta para essas questões.

Criar uma boa experiência de compra sem dúvidas passa por um bom atendimento. Por isso, fique atento ao seu SAC, tanto na loja virtual, quanto nas redes sociais. Dê respostas rápidas e mostre que quer resolver o problema daquele usuário.

Decidir ter uma loja virtual é o primeiro passo para entrar no mundo do comércio eletrônico.

Estude mais sobre o mercado brasileiro de e-commerce, faça seu planejamento, desde já, pensando tanto no desenvolvimento quanto na gestão da sua loja. Quanto mais conhecimento adquirir, mais preparado estará para fazer com que seu e-commerce seja um sucesso de vendas.

 

Baixe Grátis

Cartilha 10 dicas para e-commerce