O papel do gestor nas relações de trabalho

0
541
gestor

Você já parou para pensar no que significa ser gestor de pessoas? Pode parecer que ser gestor é apenas delegar tarefas e cobrar resultados. Mas, ao gestor de pessoas cabe a responsabilidade e o compromisso de estar atento às relações estabelecidas no ambiente corporativo. Isto porque são estas relações que estabelecem o clima organizacional, tão determinante à perenidade dos negócios e ao o alcance de resultados efetivos.

Não é novidade que o local de trabalho é onde permanecemos a maior parte do dia. Porém, o que se inova é que cada vez mais as pessoas desejam dar significado a este espaço de convivência e à fatia de tempo que elas entregam para a empresa.

Nesse contexto, cabe à liderança de pessoas estar em sintonia com os subordinados para entender a necessidade de cada um e identificar a forma de levá-los a dar o melhor de si. Ou seja, alcançar a medida certa entre os objetivos empresariais e a proporção de satisfação que o emprego promove ao funcionário.

Como alcançar o equilíbrio corporativo?

Para começar compreenda que, se as expectativas e necessidades do mundo mudam, é indispensável que a forma de gestão também mude.  E para ser gestor de pessoas, não basta ser adorado pelos liderados. É preciso ocupar-se dos resultados quantificáveis em curto prazo, além de defender os interesses dos colaboradores.

Assim, busque tornar-se um gestor com habilidades para lidar com o novo e com capacidade de engajar e inspirar sua empresa e equipe. Você deve ter em mente que além de prover o necessário para executar o trabalho de forma rápida e eficiente, é preciso proporcionar um ambiente saudável. Esta atitude permite que o colaborador sinta o quanto pode contribuir para o alcance dos objetivos e resultados da empresa.

Outro ponto forte é a adoção de ações simples que apontam com transparência as prioridades estratégicas da empresa. Assim você incentiva o compartilhamento de informações e o envolvimento nas tomadas de decisão.

O resultado disso tudo? Criação de soluções para os problemas corporativos de maneira cada vez mais criativa, rápida e eficaz.

São ações desta natureza que denotam o engajamento do gestor no gerenciamento do ambiente corporativo.

A atuação do gestor em casos de conflito

É importante compreender que existem relações de conflito que podem ser consideradas saudáveis. São aquelas em percebemos o aceitável e respeitoso discordar, ou um embate na argumentação e questionamento em defesa de um ponto de vista.

No entanto, quando as relações ultrapassam uma linha tênue e este discordar passa a ter uma conotação personificada, ela tende a criar um impacto significativo no ambiente corporativo, na produtividade e nos resultados.

A bem da verdade, atritos nas relações de trabalho nunca deixarão de existir. Isto porque lidamos com pessoas, e pessoas pensam diferente e possuem culturas, ideias e motivações diversificadas. E, em algum momento, essas diferenças entrarão em choque.

Para estes casos, haja empatia para elevar as relações a um patamar de confiança e cumplicidade. Isto permite alcançar níveis de comprometimento e engajamento superiores.

Você também pode adotar algumas posturas para contribuir. Confira:

Estabeleça relações de confiança

Promova ações coerentes e atitudes sinceras e construtivas, agregando valor ao trabalho e à vida dos liderados.

Seja o exemplo

Adote uma postura assertiva, respeitosa e consciente de seus deveres e responsabilidades. Demonstre isso aos liderados. O exemplo ensina mais que a fala.

Tenha compreensão

Lembre-se que a falta de harmonia possui uma causa. E por mais irrelevante que possa parecer não poderá ser ignorada. Compreenda os motivos dos conflitos e a solução virá com mais facilidade.

Fique atento ao seu redor

Não despreze nenhuma ocorrência. Uma mera incompatibilidade de opiniões pode avançar e se tornar discussões agressivas. É preciso agir antes que o pior aconteça.

Assuma papel mediador

Preste atenção à postura dos envolvidos, evitando que estas discussões alcancem outros grupos de trabalho. E busque as soluções junto aos envolvidos.

O importante é compreender que com posturas desse porte não é somente a empresa ou o funcionário que ganha. O fornecedor e o cliente da empresa também passam a contar com uma prestação de serviço de qualidade admirável. Isso favorece o clima da empresa, e enriquece o ciclo produtivo do negócio. O que gera melhores resultados para a empresa, que consegue se diferenciar no mercado.

 

Baixe Aqui

Cartilha - 8 tendências de gestão de pessoas