Novo polo da lingerie

0
349

novo poloEntre montanhas e pedras imponentes, o pequeno distrito de Vargem Grande se destaca pela produção de peças íntimas

Moradora de Vargem Grande, pequeno distrito de São João do Manteninha, no Vale do Rio Doce, Ilza Maria de Mendonça aprendeu a costurar em casa, aos 13 anos de idade, com uma senhora que ajudava sua mãe nas tarefas domésticas. Começou bordando conjuntos de mesa e de cama, depois passou a fazer também vestidos para crianças. Sempre caprichosa, ela foi aprimorando o dom e, quando se casou com Gentil Pereira de Mendonça, em 1972, já era costureira de mão cheia.

Com as vendas das peças no distrito e na capital mineira, onde vivia uma de suas irmãs, Ilza Mendonça complementava a renda do armazém do marido e ajudava nas despesas de casa, mas sentiu que precisava ampliar a variedade de produtos. Em uma das ocasiões em que foi a Belo Horizonte comprar materiais, ela conseguiu moldes de roupas e de calcinhas e achou, nesse último item de vestuário, as melhores possibilidades de ganho. “Fiz os cálculos e descobri que as peças íntimas demandavam pouco tempo e investimento. Em apenas um dia, eu podia produzir 60 calcinhas, enquanto uma colcha de cama ou um jogo de cozinha me exigiam o triplo”, relembra. “Outra surpresa foi que o produto teve muita aceitação em Vargem Grande. A primeira remessa consegui vender em um instante e tive que providenciar logo mais tecido.”

Leia  a matéria completa na revista Passo a Passo