Mundo novo do marketplace

0
301
homem com celular na mão acessando marketplace

O universo do e-commerce mudou bastante nos últimos anos. Modalidades comuns, vistas em sites como Mercado Livre e OLX, passaram a ser praticados por outras marcas. Por exemplo: Americanas, Submarino, Walmart e Extra. No entanto, de uma maneira mais profissionalizada e controlada. Isso deu início ao marketplace, que é um tipo de shopping que funciona na internet. 

Nessa esteira de mudanças, diversas empresas começaram a se especializar para que a dinâmica desse negócio ficasse mais acessível. Isto porque para trabalhar com estes grandes marketplaces, é necessário cumprir algumas exigências operacionais.

Exigências dos marketplaces

Uma operação de vendas no marketplace exige uma comunicação de informações em todo o processo. Isto deve ser feito da disponibilização dos produtos à venda, até o atendimento do pedido a ser entregue.  E para que isso ocorra, as empresas contam com serviços que facilitam algumas ações. Por exemplo: que catalogam os produtos, integram aos marketplaces, emitem nota fiscal, coordenam o processo de atendimento de um pedido, integram serviços de logística e realizam a consolidação financeira.

Contudo, essas são as premissas básicas exigidas para que a operação ocorra de maneira coordenada. Isto também permite que se atenda os consumidores com responsabilidade.

Vantagens de ser grande

Os grandes marketplaces oferecem: sua credibilidade, infraestrutura tecnológica, serviços de segurança, atendimento e sua base de clientes. Esta, por sua vez é fomentada por meio da potencia de suas campanhas publicitárias. Tudo isso em prol de vender os produtos de seus fornecedores. E para que essa troca ocorra, além do fornecedor cumprir essas exigências operacionais, ele paga uma comissão ao marketplace por cada venda realizada.

Essa comissão contemplam todos estes serviços. Elas podem variar de 10% à 30%, a depender do canal que está ofertando o seu produto. Essa disparidade vem ocorrendo devido à entrada de novos players (Amazon / Carrefour) no mercado. Para conseguir conquistar mercado, eles tornam suas comissões mais acessíveis.

No entanto, estas porcentagens, podem variar até mesmo dentro de um próprio marketplace. Isto porque em alguns deles, algumas categorias são tratadas de formas distintas. E também são considerados os volumes de venda, pois conforme o faturamento é incrementado, melhor é o poder de negociação com o marketplace.

Vender online, por um lado tornou-se mais acessível. Isto porque hoje é possível vender para muitos consumidores sem a necessidade de possuir um e-commerce próprio. No entanto, ficou mais complexo de desenhar a sua estratégia de vendas.

Marketplace x loja própria

Podemos estabelecer uma paralelo para criar um juízo de valor. Isto porque vendendo por meio de loja virtual própria, é necessário ir atrás do consumidor. E desta forma realizar campanhas próprias, destacando-se em resultados de ferramentas de busca, procurando parceiros para atrair o tráfego. Enfim, é necessário um esforço razoável para que os consumidores conheçam a sua loja. E também para que acreditem nela e finalmente realize uma compra.

Já nos grandes marketplaces, estes consumidores já estão presente lá. É comum as pessoas entrarem no Submarino, no Extra, no Buscapé ou até mesmo buscar o produto no Google. E, com isso, se deparar realizando a pesquisa dentro destes grandes marketplaces.

Estas marcas têm presença forte. E possuem grandes orçamentos de marketing para manter essa presença. Um marketplace como a Americanas, por exemplo, chega a receber mais de 26 milhões de consumidores em um único mês.

No entanto, o desafio dentro do marketplace é outro. E qual seria? O de  destacar o seu produto diante de tantos produtos e consumidores. E para isso, vem havendo outra revolução, mas agora, dentro dos marketplaces. Os próprios algoritimos de busca e organização do marketplace vem considerando alguns fatores. Isto para destacar as melhores ofertas aos seus consumidores. E são elas: preço do produto, tempo de entrega, disponibilidade em estoque e reputação do fornecedor (lojista).

Mas, além dessas variáveis, é possível driblar um pouco estas questões orgânicas. Alguns marketplaces, estão desenvolvendo áreas publicitárias dentro de seu própria canal para quem quer se destacar pagando. Em alguns é possível patrocinar diretamente o produto. Assim, ele ficadestacado em departamentos, vitrines e até mesmo na ficha do produto. Desta forma é possível se apoiar no cross-selling. Em outros é possível alocar banners em áreas de grande interação, permitindo fazer até um trabalho de construção de marca.

Agora que você possui uma visão geral sobre a venda através do marketplace, um modelo não anula o outro. Amplie a sua capacidade de venda, vendendo na sua loja física, virtual e no marketplace.

Baixe Grátis!

Cartilha Marketplace - tudo que você precisa saber