Meios eletrônicos de pagamento: benefícios para seu negócio

0
856
mulher usando meios eletrônicos de pagamento

Os meios eletrônicos de pagamento são ferramentas utilizadas em todos os tipos de negócios. Eles facilitam a gestão financeira das empresas e melhoram o relacionamento com os clientes.  Além disso, eles surgem a partir da utilização cada vez maior da internet para compras de bens e ou serviços. O que trouxe consigo os desafios para ajustar as formas de pagamentos aos clientes.

Quando falamos em meios eletrônicos de pagamento, o que vem à cabeça? Quase imediatamente fazemos associação com cartão de crédito ou débito. Porém, existem vários instrumentos e formas para realizar o pagamento de uma compra, que pode ser presencial ou online. E que podem ser considerados meios eletrônicos de pagamento.

O objetivo principal desse artigo é apresentar os instrumentos pelos quais são feitos os pagamentos eletrônicos. Assim como demonstrar a forma como podem melhorar a gestão do negócio e facilitar o pagamento pelos clientes. Aproveite este conteúdo para melhorar seu negócio.

Conceito e benefício

O pagamento digital, ou o meio eletrônico de pagamento, é toda forma de pagamento que é realizado via internet. Ele pode acontecer por meio de um computador, plataforma de pagamento digital, aparelhos mobile e até por moedas virtuais.  Isto ocorre por meio de uma transação bancária ou por cartões de crédito. As operações deste tipo permitem ao cliente a comodidade de pagar pelo pedido independentemente de onde estiver. E qual é o benefício para o empresário? A segurança do recebimento.

Formas eletrônicas de pagamento

Com a popularização dos smartphones e da internet, a fronteira a ser conquistada é dos pagamentos eletrônicos. Isto porque essas formas de pagamento facilitam a vida do consumidor. Como? Melhorando o relacionamento entre as empresas e seus clientes.

Além disso, os meios eletrônicos de pagamento ajudam a melhorar a gestão financeira de seu negócio. Pois, propiciam o melhor aproveitamento de seus recursos financeiros, a partir da organização dos registros das entradas de capital.

Confira alguns meios eletrônicos de pagamento que você pode ter na sua empresa.

Cartões – Débito e/ou Crédito

De acordo com estudo realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços (ABECS), em 2017 o volume de compras utilizando os cartões atingiu os surpreendentes R$508 bilhões somente com o cartão de débito. Isto representa um aumento de 12,6% em relação a 2016, quando foi registrado o volume de R$451,3 bilhões.

Além disso, o volume transacionado com o cartão de crédito chegou a R$842,6 bilhões. O que representa um aumento de 12,4% de aumento em relação a 2016, quando este valor ficou em R$749,7 bilhões.

O Cartão pré-pago, ainda pouco utilizado em relação ao de crédito e de débito, foi o que apresentou maior aumento em relação a 2016. 68,6 %, saindo dos R$3,9 bilhões em 2016, para R$6,6 bilhões em 2017. Isso sinaliza que este pode ser um caminho para quem quer se livrar das faturas dos cartões.

Vantagens de receber com cartões

Pesquisa realizada pelo Sebrae em 2016 - sobre a aceitação de cartões por parte das micro e pequenas empresas - mostrou que 57% dos entrevistados percebem mais segurança neste tipo de transação.

Isto porque não ficam com dinheiro em caixa, já 64% dos entrevistados disseram que a inadimplência reduziu. Além disso, a pesquisa mostrou que 55% dos empresários perceberam aumento no fraturamento.

aceitação de cartão

Fonte: Aceitação de cartão - Sebrae 2016

Transferências bancárias (DOC/TED)

As transferências bancárias são ordens de pagamento com a finalidade de creditar recursos para o beneficiário. Isto é feito a partir da transferência do banco pagador (remetente) para o banco beneficiário (destinatário). É o sistema de pagamento mais utilizado no país. Ele compreende a Transferência Eletrônica Disponível (TED), o Documento de Crédito (DOC) e o Bloqueto de Cobrança.

O Anuário Brasileiro de Bancos (ABB) de 2017, realizado pela Catarino Brasileiro, apresenta em seu capitulo sobre Dados do Setor, que as transferências bancárias registraram um crescimento de 741% em termos de transações realizadas, se compararmos com 2015.

TED

O TED pode transferir quaisquer valores, desde janeiro de 2016. Ele tem a vantagem de ficar disponível na conta do destinatário no mesmo dia, poucos minutos após emitir a ordem.

De acordo com o relatório do Banco Central, o volume de transferências eletrônicas via TED em 2018 apresentou aumento significativo. Isto se refletiu em quase 5 bilhões de transações somente nos cinco primeiros meses do ano.

transferências

Fonte: Aceitação de cartão - Sebrae 2016

DOC

O DOC pode ser realizado para transferir valores de até R$ 4.999,99. Ele é feito mediante compensação, da mesma maneira como os cheques, que é efetivada na noite da data de processamento. Portanto, o saldo fica disponível no dia útil seguinte. Se o DOC for emitido fora do horário, ele fica agendado para o próximo dia útil.

Tanto no TED como no DOC há a cobrança de uma tarifa por parte do banco emitente, variando de banco para banco. As transações podem ser do tipo C, entre clientes de diferentes titularidades, ou D, para uma conta da mesma pessoa em outro banco (mesma titularidade).

Moedas Eletrônicas ou criptomoedas

Muita gente já ouviu falar sobre elas, especialmente pelo sucesso das criptomoedas, como o Bitcoin. Mas talvez não saiba exatamente o que esse novo conceito significa. Apesar de poder parecer complicado à primeira vista, o conceito por trás das moedas eletrônicas é bastante simples.

A primeira coisa para entender é que as criptomoedas são a parte visível de uma composição muito maior que é a tecnologia Blockchain. Assim como o nosso dinheiro usa o sistema bancário para circular, as criptomoedas usam o Blockchain para operar.

Blockchain

E o que é o Blockchain? De forma resumida, é um ambiente que permite que as transações sejam realizadas entre as pessoas que querem trocar um ativo digital diretamente entre elas. De tal forma que as operações ocorram com segurança e sem medo de fraude. Esta plataforma tecnológica fornece um registro imutável de uma transação. Ele não pode ser alterado ou escondido, e que não exige a validação de nenhum órgão para aprovar a intermediação.

De acordo com Sean Bradley, da TechAdvisor do Reino Unido, ter uma tecnologia que permite transações limpas e sem a necessidade de uma parte confiar na outra, é algo que pode trazer implicações muito mais extensas do que parece. É um sistema que não pode ser burlado ou enganado. E, também, oferece prestação de contas e clareza para a transferência de dinheiro e ativos.

Assim, podemos dizer que as criptomoedas são um tipo de moeda virtual que utiliza a criptografia. Isto permite buscar maior garantia de segurança em transações financeiras na internet. Da mesma forma que a moeda tradicional, a elas possuem números de série ou listras ocultas em seu interior. Isto visa evitar falsificações.

As criptomoedas também utilizam códigos que são muito difíceis de quebrar. Mas, o sistema não é inatacável e, apesar de toda esta segurança, em 2017 hackers conseguiram roubar cerca de U$ 31 milhões em criptomoedas.

Existem diversos tipos de moedas virtuais, como o já mencionado Bitcoin, que é a mais conhecida. Ele é descentralizado. O que significa que a moeda pode ser transferida de pessoa para pessoa sem passar por bancos ou intermediários. Como não existe uma autoridade ou banco regulando as moedas virtuais, as taxas são menores e você consegue realizar transações em qualquer país.

Mais segurança e efetividade

 Seja qual for o mecanismo escolhido para realizar os pagamentos ou receber dos clientes, os meios eletrônicos de pagamento mudaram os relacionamentos entre cliente, empresas e instituições financeiras. Isto ocorre porque, as pessoas e as instituições perceberam mais segurança nestas transações. Também porque estas formas agilizaram o processo, permitindo o ganho de tempo para outras operações.

Uma coisa é certa, as transações eletrônicas estão ocupando cada vez mais espaço. E, com isto, outros produtos e serviços vão surgindo no  mercado,  ampliando a utilização desses mecanismos. Assim, cada dia percebemos mais as plataformas de transferências sem que seja necessário o serviço ou produto de um banco.

Por exemplo, empresas de telefonia estão ampliando seus serviços de transmissão de dados. E, o que se vê, é uma redução do número de agências bancárias. O que às vezes não se aplica a algumas cooperativas de crédito, que definiram uma estratégia de ocupar os espaços deixados por bancos tradicionais.

Nos últimos anos, a evolução do perfil do consumidor e os novos hábitos de consumo fizeram com que os negócios buscassem meios alternativos de pagamentos. Isto porque estes meios atendem as necessidades e preferências dos consumidores no ato da compra.

Em meio aos avanços, que atingem a população de forma global, os meios eletrônico de pagamento têm gerado muitos negócios. Por isso, destacam-se pela transformação em prol do melhoramento das transações. Assim como das relações entre os pequenos negócios e os consumidores.