Formação de preços: o que é e como fazer

0
636
formação de preços

Todos os produtos e serviços disponíveis no mercado têm, além de um valor, um preço de venda. Além disso, a diferença entre esses dois conceitos é que preço é o montante a ser desembolsado pelo cliente para adquirir algo. Por isso e por razões de controle de custos e análises essenciais, a formação de preços é uma atividade fundamental na rotina de empreendedores e empresas.

Mas como definir o preço de um produto ou serviço? Em primeiro lugar, é preciso saber que existem diversos fatores que impactam na formação. Igualmente, pensando nisso, preparamos um guia completo sobre o assunto. Tudo para que você entenda a importância de definir corretamente os preços que praticará no mercado. Por isso, continue a leitura e, ao final, deixe a sua dúvida, combinado?

O que significa formação de preços

Eventualmente, precificar significa, em poucas palavras, colocar preço. Porém, na prática, não é assim tão simples. Isso porque o preço de um produto ou serviço deve ser suficiente para cobrir as despesas envolvidas na sua produção, estar compatível com o mercado — ou seja, com a concorrência — e permitir a geração de lucro.

Assim sendo, como resultado, existe toda uma ciência na hora de determinar o preço de um produto ou serviço. Portanto, com as orientações certas, qualquer empreendedor ou empresa é capaz de estabelecer preços que realmente gerem resultados e atendam às expectativas dos clientes.

Como definir o preço de um produto

Acima de tudo, é importante destacar que os consumidores se preocupam sim com o preço. No entanto, esse não é o único fator que eles analisam na hora de comprar um produto ou serviço.

Por isso, a formação de preços deve levar em consideração a realidade da empresa e do mercado. Além disso, produtos e serviços muito conhecidos e desejados podem ser vendidos por um valor bem mais elevado do que os praticados pela concorrência, por exemplo.

Finalmente, acompanhe logo abaixo um passo a passo de como realizar a formação de preços, com base em alguns critérios que são padrões para qualquer negócio.

Estabeleça os custos

Em primeiro lugar, é certo que todo produto ou serviço gera despesas. Além disso, existem custos de produção, transporte, armazenamento, divulgação e muitos outros. Por isso, é um erro estabelecer os preços às cegas, sem uma análise detalhada.

Igualmente, muitas empresas, de olho na concorrência, baixam os preços ao máximo. As vendas aumentam, mas os lucros diminuem. Por isso, em situações extremas, a estratégia pode sair completamente de rumo. Isso porque o motivo é a formação de preços deve respeitar os custos da empresa em questão.

Sob o mesmo ponto de vista, na contabilização dos custos, devem ser considerados a matéria-prima, logística, mão de obra e as despesas variáveis, como energia elétrica.

Além disso, existem os chamados custos fixos, como aluguéis e internet, a depender do produto ou serviço que a empresa vende.

Alguns desses custos não são fáceis de associar ao produto ou serviço e, portanto, dificultam ainda mais a precificação. A ajuda de um contador é fundamental na hora de entender mais sobre custos e despesas.

Defina a margem de lucro

Uma coisa é certa: não dá para vender seu produto ou serviço acabado pelo mesmo preço de produção, não é mesmo? Isso porque a margem de lucro é o percentual que supera o valor base. Por isso, durante a formação de preços, o empreendedor deve pensar no quanto deseja ganhar a cada venda.

Por isso, é preciso saber que definir a margem de lucro não é nada simples, tendo em vista a necessidade de observar os preços de mercado, as expectativas dos consumidores e as características do produto ou serviço.

Então, um grande erro dos empreendedores iniciantes é fazer seus cálculos considerando apenas os custos de produção, sem levar em consideração uma margem de lucro que permita ao negócio se tornar sustentável ao longo do tempo.

Acompanhe o mercado

O mercado dita tendências. Portanto, é impossível falar em formação de preços sem considerar o quanto a concorrência deve influenciar nos preços finais.

Eventualmente, se estamos diante de um produto comum de nicho, como um computador, não é viável cobrar duas vezes mais do que a concorrência. Além disso, os consumidores pesquisam — e muito bem — antes de fazer uma compra. Com a internet, então, as pesquisas se tornaram mais fáceis e frequentes.

De acordo com as mais recentes pesquisas, 77% dos consumidores pesquisam na internet antes de comprar. Por isso, é importante acompanhar o mercado, os preços praticados e as tendências. Acima de tudo, essa estratégia é importante tanto para a definição do valor base quanto para saber o melhor momento para lançar promoções e ofertas.

A importância da formação de preços

A formação de preços é um processo importantíssimo para empresas e empreendedores. Como vimos, existem muitos fatores a serem considerados na hora de bater o martelo e estabelecer um número.

Não dá para fazer as contas de cabeça ou no chute. É preciso contabilizar todos os custos e definir, matematicamente, o melhor preço para um produto ou serviço. Errar na hora da formação de preços pode significar prejuízos para o seu negócio.

No entanto, existe um número mágico que, quando agregado ao seu produto ou serviço, pode aumentar a sua margem de lucro e mudar o seu preço para melhor. É com esse componente que finalizaremos o nosso papo.

O "componente mágico" para aumentar o preço final

Existe uma parcela da formação de preço que muitas vezes é ignorada pelos empreendedores e pode duplicar, quadruplicar ou mais o preço de um produto ou serviço. O nome desse "componente mágico" é valor.

Certamente, você já notou que existem produtos que não são vendidos apenas pelo que valem em matéria-prima ou pelos custos de produção.

Em outras palavras, existem produtos que são vendidos por preços muito maiores do que os praticados pela concorrência. E, mesmo assim, são objetos de desejo e têm público comprador fiel.

Empresas de renome — como Apple, Ferrari e Dolce & Gabbana — sempre estabelecem preços altíssimos para os seus produtos, mesmo com opções muito mais baratas no mercado. Isso porque essas marcas oferecem não somente produtos, mas experiências de status e diferenciação aos seus clientes. Esse é um fator que vai muito além do preço de um produto ou serviço.

Quanto mais valor agregado do seu negócio ou melhor o seu cliente se sentir, maior a sua liberdade para estabelecer preços!