Finanças para MPE

2
228

Quando as pessoas abordam o tema finanças, parece que se referem a algo muito estranho, distante do nosso dia a dia. Decorre daí o surgimento de dificuldades em relação ao assunto. Entender de finanças é simples, e esse conhecimento tem sido utilizado, com sucesso, por pessoas físicas e jurídicas. Para estas, não importando o porte – micro, pequena, média ou grande –, posso afirmar que, quanto maior a organização, maior o grau de complexidade e a necessidade de ferramentas de controle e planejamento.

A ignorância sobre esse tema incomoda. Como medir os resultados? Quais indicadores devo utilizar? O que foi apurado é suficiente para promover o desenvolvimento do negócio e remunerar adequadamente os investidores? Essas dúvidas passam a fazer parte do cotidiano do empresário e limitam suas ações empreendedoras.

Como especialista em Gestão e Finanças, tenho observado que o descaso com o manejo do dinheiro e a ausência de educação financeira no currículo escolar do ensino fundamental são os grandes obstáculos a serem superados nas próximas décadas. Hoje, o nosso trabalho na instituição vai além do imediatismo: nós não só levamos conhecimento para as reuniões com empreendedores mas também oportunidades de encontro, de troca de experiências e de alianças.

Nesse sentido, é importante levar em conta alguns aspectos para que haja uma compreensão acertada sobre a gestão financeira, inspirando os empreendedores em direção a um novo olhar:

? dinheiro é meio de troca;
? as finanças pessoais não se misturam com as da empresa;
? negócio é investimento;
? controles financeiros são ferramentas, use-os;
? entenda o mercado, olhe mais;
? nunca gaste mais do que ganha;
? acompanhe os resultados mensalmente;
? entenda como o dinheiro entra e sai de sua conta;
? estudar finanças é acompanhar o comportamento do dinheiro na linha do tempo;
? investimento se faz com o lucro;
? implante controles financeiros e crie um painel de controle;
? utilize a tecnologia a seu favor;
? faça planejamentos;
? faça parcerias;
? toda empresa tem a “cara” do dono;
? descubra se o seu problema é de conhecimento ou de atitude.

As colocações acima parecem óbvias, mas não são. Elas dizem respeito à sua segurança financeira, são regras que funcionam e são praticadas pelos empreendedores de sucesso.

Após essas ponderações, convido os leitores a fazer um autodiagnóstico de sua relação com a gestão financeira. Para facilitar o processo, recomendo começar esse trabalho pela análise de suas finanças pessoais. Depois desse aprendizado, dê início à avaliação em seu empreendimento. É um caminho mais demorado, mas com resultados mais significativos – é o conhecido “longo caminho curto”.

E lembre-se: busque o conhecimento e o pratique, procure ajuda, tenha objetivos e sonhos.

*Artigo de José Márcio Lemos | Analista técnico da regional Sul do Sebrae-MG

Fonte: Revista Passo a Passo nº 142 - Para baixar a revista completa clique aqui.

Para saber mais sobre o tema, acesse:

Como Elebaror Controles Financeiros
Dúvida frequente: Qual a importância dos controles financeiros