Design sprint: o que é e como usar

0
897
design sprint

O trabalho cocriativo para a elaboração de produtos digitais é um dos caminhos que vem sendo adotado por muitas empresas, com intuito de se diferenciarem. Há necessidade de conquista imediata do público, assim, trazer o usuário para o processo de criação permite economia de tempo e custo. O design sprint pode contribuir neste processo.

“Os seres humanos são complexos e inconstantes” cita o autor Jake Knapp. Sendo assim, nada melhor que testar ideias com quem de fato fará uso do seu produto e validar rapidamente o que está sendo idealizado.

Mesmo que o resultado seja negativo e a sua ideia um fiasco, você será beneficiado. Errar rápido fará você entender melhor o que funciona ou não e permitirá evoluir para uma nova ideia.

Essas técnicas, muito usadas em negócios com “pegada” digital, já são parte do dia a dia de empresas em vários setores diferentes. Não é preciso ser grande ou ter muita verba. Basta se organizar.

Resolvendo problemas em até cinco dias

O Design Sprint é uma delas. Focada no usuário, visa a agilizar o trabalho de prototipação e validação de ideias antes que um produto seja desenvolvido.

A metodologia é baseada no Design Thinking e promove o trabalho cocriativo entre designers, equipe técnica, patrocinadores e usuários. Acredita-se que quanto maior a diversidade de pessoas, melhores serão os resultados.

Esse time procura executar o trabalho em até cinco dias e transformar uma ideia em um protótipo funcional. O protótipo é utilizado por alguns clientes, de forma a validar se ideia está no caminho certo. Isto é o que chamamos de Sprint.

Sprints são corridas de alta velocidade em curtos períodos de tempo. Na gestão de projetos são marcos predefinidos e de curta duração, com objetivos claros e artefatos a serem entregues.

Antes de realizar o design sprint

Para começar é importante que você defina bem o desafio, ou seja, qual o problema a ser enfrentado. Quanto mais informações, melhor. Vale lembrar que neste caso um problema pode ser uma grande oportunidade de negócio.

Também será importante que você defina as pessoas que farão parte do trabalho. Equipes muito grandes podem dificultar um consenso, um número entre cinco e sete pessoas seria ideal. Traga para o time aqueles que questionam, mas também contribuem para a construção.

Por fim, defina o local e período de trabalho.

Entender e definir

Inicie o Sprint identificando o desafio. Peça que todos contribuam com informações e elabore um mapa mental, conjunto de informações em torno do problema. Esse é um momento rico, pois cada profissional tende a contribuir com a forma como vê o problema. Até pela diversidade de funções, haverá ideias e informações bem diferentes. Por fim, escolha o item mais desafiador que será validado.

Por exemplo: a sua empresa de consultoria pretende ter uma maior unidade entre os canais de atendimento e personalizar as entregas de acordo com o cliente. Transforme este desafio em pergunta e crie seu mapa.

Como podemos ter maior unicidade entre os canais de atendimento e personalizar nossas entregas de maneira a oferecer melhores soluções aos nossos clientes?

Divergir e decidir

Definido o problema, é hora de desenvolver ideias. Amplie ao máximo as possibilidades de soluções, ouvindo toda a equipe. Faça anotações das informações-chave, rabisque algumas soluções, experimente variações e por fim pense nos detalhes. Crie esboços enfatizando o pensamento crítico. Cada membro do time faz tudo isso primeiramente de forma individual e depois compartilha com o grupo. Colhendo as melhores sugestões, decida qual ideia prototipar.

Prototipar e validar

Agora é hora de materializar as ideias em algo que possa ser testado. Tenha em mãos um roteiro do que se pretende fazer e simule o que irá ocorrer. Crie um modelo físico do produto. O importante é não gastar seu tempo nos detalhes de acabamento, mas sim nas funcionalidades (o que ele faz) e o processo (como ele faz).

Teste e convide alguns potenciais usuários, observando as reações.

Por fim, entreviste as pessoas ao final do teste e entenda os pontos positivos e negativos. Assim você terá validado a sua ideia e saberá que rumo tomar. Talvez outro Sprint considerando algumas melhorias. Talvez descartar a ideia. Ou, quem sabe, partir para o abraço, como diz o ditado popular.

design_sprint1

 

Mão na massa

Ainda em dúvida sobre como fazer? Segue uma sugestão de Sprint em três dias. Fique à vontade para estender as atividades em até cinco dias, mas sugiro também experimentar um Sprint de um dia e conhecer todo o processo.

1° DIA 2° DIA 3° DIA
Apresentação

Defina objetivo a longo prazo e trace um mapa mental

ALMOÇO

Busque mais informações e defina o desafio

Apresentação do desafio

Faça alguns esboços: anotações, rabisque algumas ideias

ALMOÇO

Ajuste e aperfeiçoe as ideias e decida a melhor ideia

Elabore um roteiro, desenvolva um protótipo e faça um teste piloto e ajuste quando necessário

ALMOÇO

Realize os testes e entrevistas com usuários e compile os resultados

 

Conhecimento é ouro

O Sebrae oferece o Curso Processo Criativo, baseado no Design Thinking. O kit de ferramentas poderá auxiliá-lo a desenvolver seu potencial criativo e aplicá-lo para melhorar os resultados de sua empresa ou projeto.

Se o inglês estiver afiado, vale ler o artigo sobre sprint do autor Jake Knapp.

Agora é só colocar a mão na massa e boa sorte!

Baixe Grátis

Ideias, testes e protótipos -Guia essencial para empreendedores