Como se tornar um franqueador

0
1100
franqueador

Chegou a hora de expandir o seu negócio? Ser um franqueador é uma das alternativas mais promissoras. Tornar-se o proprietário de uma rede de empresas pelo país é uma das maiores gratificações que um empreendedor pode ter.

O modelo de franquias permite que a sua marca alcance praças que provavelmente não conseguiria sem uma rede. Mas será que toda empresa é franqueável?

Neste artigo, daremos uma série de dicas práticas para quem deseja se tornar um franqueador ainda este ano. Vamos lá!

Afinal, como ser um franqueador?

Certamente, virar um franqueador envolve etapas que não podem ser desconsideradas. Veremos cada uma delas a seguir.

Formate a franquia

Para ser um franqueador, você precisa submeter a sua empresa a uma formatação prévia. Por isso, é necessário identificar as operações-chave, como controle do estoque e cadeias de fornecimento, além de alinhar os demais métodos de produção.

A estrutura da franquia será replicada pelos franqueados. Portanto, essa etapa deve ser bem detalhada, abrangendo:

  • fazer um planejamento estratégico de, pelo menos, cinco anos;
  • registrar a marca da empresa nos órgãos competentes, como o INPI;
  • mapear processos e padronizá-los;
  • estruturar treinamentos para novos franqueados;
  • montar uma estrutura de acompanhamento ao franqueado;
  • produzir contratos e outros instrumentos condizentes com a relação jurídica, dando mais segurança a franqueador e franqueado.

Esse processo de "formatação" também consiste em um investimento com retorno de médio a longo prazo.

É de suma importância que o franqueador documente tudo que for importante. Você precisa estar disposto a transferir o conhecimento para os franqueados, de forma a garantir que eles repliquem a sua trajetória de sucesso e, assim, consigam ter lucros.

Conheça a Lei do Franchising

Estudar a Lei do Franchising é obrigatório para qualquer empresário que deseja se tornar um franqueador. No Brasil, o instrumento que rege as relações de franquias é o 8.955/94.

Assim, você passará a conhecer os seus direitos e as suas obrigações, podendo agir para evitar problemas.

Planeje o processo de transição

O franqueador precisa elaborar um projeto de negócios, com o objetivo de definir o que deve constar no novo empreendimento, mesmo que a empresa já exista. Dessa forma, é necessário planejar e organizar toda a nova estrutura que comporá o negócio.

Estabeleça processos e níveis de excelência

Os processos devem ser padronizados e organizados de forma que o know-how seja transferido sem falhas.

Para facilitar o aprendizado, o franqueador pode elaborar manuais que contemplem todas as fases do processo, mesmo as rotinas básicas.

Faça contratos

Os contratos de franquia são essenciais para garantir a segurança jurídica do negócio.

A Circular de Oferta de Franquia (COF) é o documento principal que registra informações importantes sobre a empresa e os processos.

Ela deve sempre vir acompanhada do contrato de franquia. Falaremos mais sobre ambas adiante.

Desenvolva os processos de formação e suporte

Mantenha a sua rede preparada. Para isso, frequente eventos e busque desenvolvimento. Só assim você terá bagagem e conhecimento suficientes para investir no seu negócio com mais sabedoria.

São esses elementos que o seu franqueado precisará no futuro e, provavelmente, você não teve quando abriu a sua empresa.

Você também pode criar canais de suporte para o franqueado, com o objetivo de facilitar e tirar dúvidas, por exemplo.

Crie uma unidade modelo

A unidade modelo ou piloto é uma extensão da franqueadora. Ela serve como facilitadora de processos operacionais, testes e ajustes que serão necessários até chegar ao sucesso.

Uma de suas vantagens é medir na prática o desempenho da unidade e, assim, saber quais são os custos e investimentos necessários para a sua manutenção.

Elabore o plano de marketing da franquia

Assim que todas as etapas estiverem cumpridas e o modelo de negócios estiver pronto — ou quase — para funcionar, é hora de pensar nas vendas. Por isso, você precisa definir quais estratégias de marketing serão adotadas, de forma a conduzir os clientes a consumirem os seus produtos e serviços.

Além disso, não se esqueça que agora você contará com a verba de propaganda da franquia, que será distribuída entre todos os franqueados e aumentará o poder de alcance de suas estratégias. Portanto, use-a com sabedoria.

Documentos de uma franquia

Como vimos, os documentos essenciais de uma franquia são:

  • a Circundar de Oferta de Franquia (COF);
  • o Contrato de franquia (CF).

Saiba mais sobre eles.

Circular de Oferta de Franquia (COF)

A COF é o documento que apresenta todas as informações sobre a rede. Por isso, nela consta tanto a parte conceitual do negócio quanto a parte financeira. É entregue em uma fase mais adiantada das negociações, pois ela descreve o seu negócio em detalhes. Dessa maneira, o franqueador entrega ao franqueado a documentação com, pelo menos, 10 dias de antecedência à assinatura do contrato de franquia, para que ele tenha tempo para leitura criteriosa e tomada de decisão.

Isso é importante para que ele analise cada pormenor com calma e tenha tempo suficiente para se resolver.

Assim também, após a leitura da COF, o empresário já está capacitado para resolver se quer ser mesmo um franqueado da rede. Assim sendo, com essa decisão tomada, chega a hora da assinatura do contrato de franquia.

A Lei 8.955/94 apresenta a lista de informações que precisam constar do documento. Aliás, podem ser incluídos outros dados, caso necessário. Portanto, o importante é que tudo esteja descrito detalhadamente.

Contrato de franquia

O contrato de franquia é um documento empresarial de adesão. Por isso, ele representa a relação jurídica na qual o franqueador (pessoa que tem a titularidade, tecnologia e o know-how do negócio) cede ao franqueado (pessoa que paga os devidos royalties) o direito de explorar a marca.

Assim sendo, em vez de inaugurar filiais, ele simplesmente permite que outras pessoas utilizem a sua marca, seguindo padrões e processos já estabelecidos.

Por isso, esse documento é muito importante e deve ser bem elaborado, de preferência por um consultor especialista em franchising. Geralmente, ele tem a validade de 60 meses, mas pode ser renovado.

Além disso, após a documentação elaborada, sugerimos a sua filiação a Associação Brasileira de Franchising, que é a entidade que representa o segmento de franquias e oferece uma séria de atividades e pesquisas para seus associados.

Eventualmente, você precisa ter em mente que transformar uma empresa em franquia exige atenção e cuidado. Por isso, averiguar o cenário econômico e a situação da empresa são pontos fundamentais para não ter complicações no caminho.

Por isso, ter clareza do processo ajuda a acabar com dúvidas e tomar a melhor decisão para a sua empresa.