Case de Sustentabilidade: JS Metalurgia

0
307

Metalurgia reduz 10% dos custos mensais da empresa, aumenta 5% do faturamento com práticas sustentáveis, que geram novos produtos  

Sobre a empresa

Ramo de atuação: Metalurgia
Tempo de mercado: 5 anos
Localização: Manaus/AM
Colaboradores: 6
Como o Sebrae ajudou essa empresa: Consultorias, cursos e participação no Projeto de Adensamento da Cadeia de Gás e Petróleo no Amazonas
Site: http://www.jsmetalurgia.com.br/

Foto da microempresa JS Metalurgia de Manaus."Simples adaptações em processos produtivos e cultura da empresa podem obter bons resultados."

A luta pela redução do desperdício é um preceito básico das empresas em geral, não importando o tamanho do empreendimento. Mas, em alguns casos, isso pode significar não só questão de economia, mas aumento dos lucros. Esse é o caso da microempresa JS Metalurgia de Manaus (AM).

Especializada em serviços metalúrgicos e em esquadrias metálicas, a JS, criada em 2007, descobriu que poderia aperfeiçoar sua produção e reduzir custos, se buscasse o melhor aproveitamento possível das matérias primas adquiridas de indústrias. De acordo com o supervisor administrativo da empresa, Rafael Dantas, com as sobras de ferro e outros metais são produzidos lixeiras residenciais e protetores de condicionadores de ar, que são comercializados em consignação em quatro lojas da capital manauara.

Outro produto, criado a partir das sobras de metais, é o expositor móvel, ideal para mercados e outros comércios exporem seus produtos. Por ser pequeno, portátil e possuir rodas – a única peça que não vem do reaproveitamento, – é facilmente transportado para dentro e fora das lojas.

Aliada à ideia do reaproveitamento e a partir de consultorias e cursos do Sebrae, a JS Metalurgia buscou a profissionalização dos funcionários, o uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI) e o cumprimento da legislação. Dantas explica que investir em adequação legal e práticas ambientais ajuda a explorar novas opções de comercialização de produtos e serviços.

Apesar de a concorrência não investir como a JS em qualificação e segurança, o administrador acredita que o respaldo ambiental e legal atrai novos clientes. “O principal desafio está na implantação do conceito de sustentabilidade na prática, onde simples adaptações em processos produtivos e cultura da empresa podem obter bons resultados”, ressalta.

Entre as práticas sustentáveis adotadas, uma das mais importantes foi a redução do volume de matéria-prima em estoque, destaca Dantas. “Produto estocado é dinheiro parado”, afirma. Isso ajudou a aproveitar melhor os 300 m² da área ocupada pela empresa. No telhado foram instaladas telhas translúcidas para permitir o melhor aproveitamento da luz natural e consequente redução do consumo de energia elétrica.

Os copos descartáveis foram substituídos pelos de vidro e cada funcionário tem o seu, reduzindo a geração de lixo e gastos com supérfluos. Até mesmo a internet, acredita Dantas, otimizou tempo e dinheiro. O site do empreendimento tornou os contatos  mais ágeis e o gerenciamento bancário ‘on line‘ reduziu o consumo de gasolina da empresa.

Embora todas essas melhorias sejam recentes, começaram no ano passado, a estimativa é que tenham gerado redução de 10% nos custos mensais de manutenção e  ampliação de faturamento em 5% com os novos produtos. Apesar dos números parecerem pequenos para a economia brasileira, a empresa aposta no potencial da reutilização dos materiais. No momento, novos produtos estão sendo testados.

Fonte: Vanessa Brito

Garanta o reconhecimento que seu negócio merece. Participe do Prêmio Sebrae-MG de Práticas SustentáveisSe também quer que sua empresa seja reconhecida, inscreva-se no Prêmio Sebrae-MG de Práticas Sustentáveis.