Case de Sustentabilidade: Cooperativa de Empreendimentos Solidários do Município de Boa Vista – Coofec’s

0
253

De olho nas tendências, artesãs e costureiras criam linha de sacolas retornáveis recicladas em Boa Vista.  

Sobre a empresa

Ramo de atuação: Confecção e artesanato
Tempo de mercado: 4 anos
Localização: Boa Vista, RR
Cooperadas: 20
Como o Sebrae ajudou essa empresa: cursos e treinamentos, apoio à formalização e desenvolvimento de produtos

Sacolas feitas de lona "Aqui tudo é reaproveitado, nada vai fora. Se a gente não precisa mais, tem outros que usam."

Na Cooperativa de Empreendimentos Solidários do Município de Boa Vista (Coofec’s), em Roraima, nada se perde. O que não entra na confecção de uniformes escolares, tapetes, bolsas e enfeites encontra utilidade nas criações da entidade e de outros grupos de artesãos, com os quais compartilha espaço na incubadora de economia solidária do município. Foi a experiência com o reaproveitamento de inúmeros materiais, que levou a cooperativa  a desenvolver uma nova linha de produtos, a partir das lonas de banners usados.

A Coofec's começou como associação de artesãs e costureiras em 1996 e se formalizou como cooperativa, há quatro anos, com apoio do Sebrae e da Universidade Federal de Roraima (UFRR). Maria dos Santos Sousa, presidente da cooperativa, diz que a linha de produtos, com base no reaproveitamento de banners, foi fruto de criação coletiva.

Certo dia, consultores do Sebrae mostraram às artesãs e costureiras uma pasta feita de lona usada e perguntaram se a Coofec's teria interesse em desenvolver produtos daquele tipo. Elas pegaram alguns banners e começaram a experimentar uma nova técnica de produção. “Fomos testando o material, usando a criatividade para desenvolver o visual e vendo no que dava”, conta a presidente da entidade.

A partir da nova técnica aprovada, as associadas começaram a produzir uma linha de sacolas retornáveis para supermercados, pastas de eventos e outras peças. A matéria-prima vem do Sebrae e da UFRR, que, além de doarem seus banners usados, também encomendam regularmente pastas e bolsas para eventos. A cooperativa confecciona em média 500 sacolas retornáveis por mês. A nova linha de produtos tem conquistado cada vez mais o mercado de Boa Vista.

“Hoje a maior parte da nossa produção ainda é a costura normal, o reciclado é uma parte pequena do negócio, mas a tendência é aumentar com a retirada das sacolas plásticas dos supermercados” avalia  a presidente da Coofec’s. As sacolas retornáveis e outros produtos sob encomenda representam 20% da produção mensal da  entidade.

Reaproveitamento

A principal clientela da cooperativa são escolas para as quais produz uniformes, porém o reaproveitamento de materiais já fazia parte da história da Coofec's. Há tempos, a cooperativa produz roupas para carnaval e festas juninas, a partir de materiais reciclados ou alternativos, como estopa. Com as sobras de tecido dos uniformes, fitas e outros retalhos, elas produzem tapetes e outros peças decorativas. Até mesmo os cones dos carretéis de linha são reaproveitados pelas artesãs.

“Quando a gente tem muita encomenda e não sobra tempo para aproveitar os retalhos na nossa produção, doamos para outros ou vendemos”, explica Maria. A Coofec's compartilha um amplo galpão com outros 14 grupos de artesãos. O espaço é da incubadora de economia solidária da UFRR, que também abriga a sede do Fórum Estadual de Economia Solidária de Roraima.

Nesse espaço, a longa experiência associativista da Coofec's tem servido de exemplo para os empreendimentos mais novos para os quais as artesãs ministram oficinas de artesanato, por exemplo, de reaproveitamento de garrafas plásticas.

Maria diz que a entidade percorreu um longo caminho, da formação à formalização, e, agora, pode compartilhar as lições aprendidas. “A gente tem que compreender o outro e aprender a viver com os defeitos de cada um. Só assim dá certo”, resume a presidente da Coofec’s.

Fonte: Vanessa Brito

Garanta o reconhecimento que seu negócio merece. Participe do Prêmio Sebrae-MG de Práticas SustentáveisSe também quer que sua empresa seja reconhecida, inscreva-se no Prêmio Sebrae-MG de Práticas Sustentáveis.