Atitudes que fazem a diferença

0
285

atitudes que fazem a diferençaEmpresa de Paracatu adota práticas sustentáveis que geram resultados importantes para a economia, o meio ambiente e a comunidade

Quem nunca ouviu falar do termo sustentabilidade? Ele faz parte da maioria dos discursos corporativos, está presente nas salas de aula, é vivenciado pelas pessoas em seu dia a dia e incorpora as decisões de governo. Em 1987, o conceito de sustentabilidade foi mundialmente difundido com a criação do Relatório Brundtland, elaborado pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, que previa uma série de iniciativas a serem seguidas pelos países. Desde então, as ações que atendem às necessidades do presente, sem prejudicar as gerações futuras, começaram a ser efetivamente praticadas.

Em 2008, em Paracatu, Noroeste de Minas Gerais, um empreendedor trouxe esse conceito para a realidade. Alcir Antônio Corso fundou a Quiminova, fabricante de produtos de limpeza nas linhas doméstica, institucional e automotiva. “A noção de sustentabilidade começou a fazer parte da nossa gestão, em primeiro lugar, pela preocupação com o uso dos recursos naturais e, em segundo, pela diferenciação de mercado que estávamos buscando.”

E esta é exatamente a linha de pensamento que o Sebrae Minas defende com as empresas parceiras e clientes – sustentabilidade é lucratividade, um investimento que garante retorno como outro qualquer. “Os custos de ações com foco na responsabilidade socioambiental não oneram o faturamento da micro e pequena empresa. Pelo contrário, o desenvolvimento do negócio requer práticas empresariais, tecnológicas, humanas e sustentáveis, o que contribui para gerar ganhos econômicos”, afirma Anízio Dutra Vianna, gerente de Inovação e Sustentabilidade do Sebrae Minas.

Leia a matéria completa na Revista Passo a Passo