15 lições de inovação para sua empresa

0
585

A empresa que não investe em inovação perde competitividade. Ontem, o perfil dos consumidores permitia que uma organização mantivesse o seu produto ou serviço intacto; hoje, isso é sinônimo de maus tempos à vista.

A competitividade aumentou e o consumidor busca por novidades, além de estar mais preocupado com a sustentabilidade. Uma empresa que não inova coloca em risco até mesmo a sua sobrevivência no mercado.

Por isso, neste post, trazemos lições de inovação que você pode implementar em seu negócio.

1. Foque na solução e não no problema

Abrindo nossa lista, está um exemplo da Harvard Business Review Brasil, que mostra formas não usuais para a solução de problemas.

Trata-se do naufrágio do Titanic. Se a tripulação não estivesse focada no problema e sim na solução, poderia ter imaginado outros meios para salvar as pessoas, como usar o próprio iceberg, que tinha cerca de 120 metros de comprimento.

Os botes poderiam ter remado para ele e as pessoas esperariam o resgate em sua superfície plana.

2. Inovar é fazer mais, não necessariamente gastando mais

Ideias inovadoras não são sinônimo de novos custos. Para ser percebida como uma inovação, uma ideia deve gerar algo diferente que resulte em vantagem competitiva para a empresa.

Isso pode ser feito tanto em produtos quanto em serviços e processos.

3. Inovação é prestar atenção ao que o cliente deseja

Sun Tzu já dizia que "nenhum plano sobrevive ao campo de batalha". Quando se fala em inovação, o foco inicial tende a ser a empresa e os seus processos. Reuniões de Brainstorming com executivos, mudanças de planejamento e cálculo de custos; tudo permanece "dentro" da empresa.

Porém, a validação de uma inovação é feita no mercado. Ouvir o cliente e voltar atrás é um exemplo do que a Pepsi foi obrigada a fazer nos anos 90. A Pepsi Crystal, na linha transparente, não foi bem recebida.

A solução foi amargar o prejuízo dos investimentos na inovação e retirar do mercado. Algo que seria muito simples de resolver com pesquisas e até mesmo uma fase de testes com uma amostra do público.

4. Nem toda inovação acontece no produto

Investir em processos e no conforto dos funcionários são inovações que, geralmente, trazem muito resultado. Mais do que lançar novos produtos e serviços, inovar no processo produtivo, não necessariamente modificando o produto final, traz diversos benefícios para as empresas.

5. Ouvir o cliente pode economizar anos de pesquisa interna

Durante o desenvolvimento de um produto, a Natura buscava atender às necessidades dos consumidores de xampus e condicionadores. Pesquisadores foram a campo e se hospedaram na casa de consumidores.

O que descobriram revolucionou a produção de xampus. As famílias, em busca de alternativas mais baratas, consumiam refis como produto principal. Com essa informação e o uso do Design Thinking, a Natura inovou na linha Sou, que é similar ao refil, vendido em embalagem flexível e, portanto, com menores custos.

6. Inovação pode dar novos usos a ideias fracassadas

Você conhece a história do Post-it, da 3M? É um exemplo de ideia que deu errado antes de dar certo. A intenção original do inventor Dr. Spencer Silver era criar uma cola resistente. Porém, ele criou um adesivo de baixa aderência. Não havia o que fazer isso.

E permaneceu assim por anos, até que Arthur Fry, outro cientista da 3M, precisava de uma cola fraca que prendesse os papéis do coral onde cantava sem destruí-los. Aí, ele se lembrou da invenção desprezada. Fez um protótipo, distribuiu pelo escritório e o sucesso foi enorme.

7. Crie uma cultura de inovação dentro e fora da empresa

Inovar não é algo que você possa pedir ao seu funcionário. Não é simplesmente falar "vai lá e inova".

No entanto, é possível criar um ambiente de trabalho com uma cultura que estimule a criatividade e o compartilhamento de novas ideias com ações como incentivo à comunicação, respeito à diversidade e amplo acesso a recursos.

8. Evite os assassinos de inovação

Ed Catmull é o CEO da Pixar, uma empresa onde a inovação é a base do trabalho. Ele identificou que um dos maiores vilões é o medo de falhar, inerente ao ser humano.

Se a cultura da empresa reforça esse medo, o normal é as pessoas se anularem, fazendo mais do mesmo. Portanto, nas reuniões da Pixar, os diretores são incentivados a contar os seus fracassos.

9. Falhe, mas falhe logo

Outra lição de inovação da Pixar é o poder de falhar rápido. O processo de tentativa e erro, como o conhecemos, é levado a sério na empresa.

Se uma ideia inovadora é implementada e dá certo, os resultados são vistos. Se, no entanto, não funciona, isso é considerado melhor do que esperar anos de desenvolvimento.

10. Não são necessários 100 funcionários para ter uma ideia inovadora

Sabemos que as empresas mais inovadoras da atualidade nasceram de ideias elaboradas e implementadas por poucas pessoas.

Por exemplo, as gigantes Google e Amazon foram criadas em sociedade, nas garagens das casas de seus fundadores.

11. Encoraje o empreendedorismo

Uma das maiores lições de encorajamento ao empreendedorismo vem do Google. Mas não por ser uma empresa de tecnologia. A filosofia de inovação na empresa é tão forte que ela incentiva que cada funcionário trabalhe por 20% do tempo em projetos que são a sua paixão.

Isso estimula um ambiente criativo, que faz com que as pessoas tenham melhores ideias e se sintam mais realizadas.

12. Contrate empreendedores para o seu negócio

O intraempreendedorismo é um dos conceitos fundamentais em uma cultura de inovação. Contrate funcionários que foram donos de negócios, com a experiência e as características que só um empreendedor pode ter.

13. O papel do consumidor na inovação

Estar atento às demandas do mercado pode ser uma forma de gerar inovação na empresa, criando produtos e serviços que atendam aos anseios das pessoas.

E nem é necessário investir milhões em pesquisas, pois as mídias sociais se tornaram ferramentas eficazes para o diálogo com o consumidor.

14. Entenda o poder do coletivo

Crowdsourcing é a criação coletiva, que pode ser utilizada para gerar inovação na empresa a baixo ou nenhum custo.

Por exemplo, a TIM libera, antecipadamente, alguns recursos para usuários cadastrados testarem, fazendo com que a empresa tenha milhares de "colaboradores" auxiliando na inovação.

15. Seja o seu lugar de inovação

Muitas empresas têm os seus próprios centros de inovação e tecnologia, como é o caso da Magazine Luiza, que mantém o LuizaLabs.

No entanto, o propósito de inovação pode ser o mesmo em empresas com menos recursos. Uma sala, uma mesa ou um momento específico do dia podem se tornar propícios para isso.